A ascensão do diretor de dados (CDO) | MicroStrategy
BI Trends

A ascensão do diretor de dados (CDO)

Logo após o evento CDO Summit da Gartner, em São Francisco, aqui estão algumas impressões sobre a função do diretor de dados (CDO) e do diretor de analytics (CAO) e seu impacto na organização. As estatísticas que mostram o crescimento exponencial e explosivo dos dados não são novidade para ninguém. É indiscutível o aumento da quantidade de dados coletados e armazenados pelas organizações na última década. Aqui estão algumas estatísticas que evidenciam o enorme volume desse crescimento:

  • Desde 2017, existem 2,7 zettabytes de dados no universo digital
  • A produção de dados será 44% vezes maior em 2020 do que era em 2009
  • A IDC estima que, até 2020, as transações comerciais na Internet (B2B e B2C) cheguem a 450 bilhões por dia.

Em grande parte, devido ao crescimento acelerado dos dados, os diretores de dados e de analytics (CDOs e CAOs) desempenham alguns dos papéis mais desafiadores em reuniões de diretoria. Todo esse crescimento foi o que levou o The Economist a declarar que o recurso mais valioso do mundo não é mais o petróleo, mas sim os dados.

Se os dados são o novo petróleo, isso torna o diretor de dados o novo chefe de perfuração de poços pioneiros (wildcat), e o software de Analytics, a nova plataforma de perfuração? A analogia faz sentido, mas também demonstra os riscos de se fazer isso de forma errada. Uma das principais frases durante o evento CDO Summit foi “não tente fazer isso em casa”. Em outras palavras, os desafios são complexos. Entre eles:

  • Governança de dados
  • Qualidade dos dados
  • Insight e análise ágeis
  • Armazenamento (nuvem vs. nas instalações vs. híbrido)
  • Conformidade normativa de previsão (por exemplo, Lei de Privacidade do Consumidor da Califórnia)

Segundo os CDOs e CAOs com os quais conversamos no Summit, esses e outros problemas têm sido uma batalha para todos, sendo os principais desafios do crescimento de dados. As exigências de conformidade estadual e local são a principal preocupação. A maioria dos Diretores de Dados considerou o GDPR como um teste de como lidar com a próxima inundação de regulamentações de dados imposta pelo governo. A Lei de Privacidade da Califórnia já está sendo considerada um modelo nacional.

A boa notícia é que os Diretores de Dados e de Analytics com quem conversamos no Summit estão conscientes dos desafios que terão pela frente e estão se preparando o máximo que podem para o futuro. As oportunidades no mercado para que as organizações explorem os poços de petróleo metafóricos de dados são tão explosivas quanto o crescimento deles, mas fazê-lo com segurança e de maneira sustentável determinará quem sobreviverá a esses primeiros dias “de perfuração” de dados.

 

Então você acha que quer ser um Diretor de Dados? Confira esse post para saber se você se encaixa nas exigências necessárias. Quer saber o que o Fundador da Constellation Research e autor de Disrupting Digital Business Ray Wang pensa sobre o papel de Diretor de Dados? Obtenha os insights e conselhos deste consultor do Global 2000 em O papel dos dados na transformação digital.

Comments Blog post currently doesn't have any comments.