3 perguntas que podem acelerar suas iniciativas de analytics | MicroStrategy
BI Trends

3 perguntas que podem acelerar suas iniciativas de analytics

O conceito de gestão de desempenho e a adoção de tecnologias analíticas percorreram um longo caminho com o passar dos anos. Ninguém discute o valor e o benefício destes tipos de iniciativas. Elas continuam a ser classificadas como uma área de alta prioridade para muitos executivos. Entretanto, mesmo com todo o investimento, os ganhos e os benefícios permanecem inatingíveis para muitos. Por quê? É a estratégia em si ou a execução? Enquanto a maioria diria que a execução é o principal obstáculo, outras apontariam para a necessidade de uma estratégia melhor.

A realidade é que organizações normais precisam de melhoria tanto no desenvolvimento da estratégia quanto na execução, ao mesmo tempo em que reformulam seus processos comerciais. As organizações de elevado desempenho nos dias de hoje podem alcançar e ultrapassar os objetivos (aumentar a rentabilidade, sustentar o crescimento, ganhar fatia de mercado e melhorar o valor dos acionistas) por meio da transformação de sua cultura empresarial para alinhar pessoas, processos e tecnologia para dar suporte à sua iniciativa de desempenho.

Pergunta 1: Ter uma ferramenta de Business Intelligence não é o suficiente?

Tenho a impressão de que os projetos de analytics empresarial devem ter um rótulo de advertência neles: “Não tente fazer isso em casa”

O fato é que estes projetos são complexos e requerem um grau de ponderação além da tecnologia. É verdade: a plataforma analítica correta é essencial para o sucesso de qualquer iniciativa de desempenho. Ela fornece as ferramentas para planejar, analisar e acessar informações e estabelecer responsabilidade na execução de uma estratégia sólida.

Dito isto, ela não pode formar a estratégia, bem como não pode fazê-la acontecer como mágica. Em muitos projetos fracassados de tecnologia, você escuta “foi uma implementação ruim”. O que isso significa? Em muitos casos, a estratégia, os processos e a organização não mudaram. Eles apenas automatizaram o que já era disfuncional.

Iniciativas bem-sucedidas de gestão de desempenho envolvem gestão significativa de mudança, o que significa não apenas a implementação de tecnologia, mas também uma avaliação e reformulação de como as pessoas, os processos e a tecnologia precisam trabalhar juntos para alcançar metas estratégicas e melhorar os resultados. Mais especificamente, as organizações precisam avaliar como a estratégia é criada, trazer visibilidade para as atividades apropriadas e determinar as medidas certas dentro da organização para gerar resultados ideais para se atingir as metas de desempenho.

Lição de Casa Necessária: Iniciativas bem-sucedidas de analytics requerem muito trabalho antes que qualquer sistema ou execução sejam sequer considerados. O motivo número 1 para que estas iniciativas fracassem é que a maioria das organizações não investe tempo e recursos para reconhecer e planejar as lacunas de desempenho que possam existir antes da execução. Leve em consideração alguns princípios básicos, mas muitas vezes negligenciados que podem ajudar a aumentar a probabilidade de sucesso:

  • Há metodologia por trás da forma que você cria e valida a estratégia (uma abordagem de Balanced ScoreCard, por exemplo)?
  • Avalie a capacidade da organização para executar o plano.
  • Traduza estratégia em medidas ponderadas de desempenho.

Estes princípios podem ajudá-lo a entender os fatores que influenciam a capacidade de sua organização em executar além da tecnologia e melhorar significativamente os seus resultados de desempenho.

Pergunta 2: Você validou sua estratégia?

A robustez de sua estratégia é tão importante quanto a forma que você a executa. Muitas empresas continuam com planos que são puramente reativos, com base em expectativas de Wall Street, exigências de clientes ou pressões competitivas, com pouca reflexão se esta é a estratégia correta ou como ela afetará a empresa no longo prazo. Empresas de elevado desempenho se certificam de que seus planos estratégicos sejam formulados com base na economia real de seus mercados, avaliação dos pontos fortes e fracos das empresas, nos custos e benefícios de uma iniciativa proposta para desempenho, benchmarking e uma avaliação cuidadosa de impulsionadores de negócio.

Você pensa que tem uma boa estratégia? Aqui estão algumas das melhores práticas recomendadas para avaliar a fortaleza:

Comparação Competitiva: O sucesso é relativo. Você pode estar indo bem, mas pode não estar indo tão bem quanto a concorrência. Entender como os concorrentes estão investindo seus recursos e quão eficientemente eles os estão implantando pode revelar muito sobre a estratégia deles e como sua estratégia se compara.

Custo x benefício: Determine os custos reais, bem como benefícios a curto e longo prazo de uma estratégia proposta ou iniciativa de desempenho. Isso deve incluir uma avaliação não apenas de medidas quantitativas como TCO e ROI, mas também de valores menos tangíveis como melhoria da fidelidade do colaborador, aumento na percepção da marca e satisfação do cliente. Este tipo de análise custo-benefício também pode revelar as áreas dentro de sua organização que produzirão os melhores resultados no período mais curto — e você pode começar sua iniciativa a partir dali.

Benchmarking de KPI: Ao comparar sua organização com indicadores de desempenho (KPI) críticos da área do negócio e do setor, você poderá determinar como as estratégias atuais estão se desempenhando em comparação com o setor e os pares.

Impulsionadores de Desempenho: Entenda o que impulsiona o crescimento de sua empresa, concorrentes e fatores dentro do setor. Alguns desses impulsionadores poderão ser internos para a organização e sob controle; outros são externos e fora do domínio de influência, mas as organizações devem ser capazes de prever estes fatores para gerenciar o desempenho de maneira proativa. Identificar, examinar e comparar seus impulsionadores de desempenho pode ajudar as organizações a desenvolver modelos de planejamento que proporcionam agilidade estratégica.

Pergunta 3: Quão pronto você está?

Larry Bossidy, ex-presidente e CEO da Honeywell International, escreveu em seu inovador livro “Execution”, que nenhuma estratégia importante pode ser planejada sem a compreensão sobre a capacidade da organização para executá-la. Como as iniciativas bem-sucedidas de analytics basicamente envolvem diversos departamentos, elas têm um impacto significativo em como as organizações desenvolvem e gerenciam suas métricas, seus sistemas, processos e práticas comerciais.

É necessário examinar cuidadosamente a organização para identificar “lacunas de desempenho”, e então, determinar se e em qual grau as mudanças serão necessárias para dar suporte a quaisquer iniciativas de analytics. As organizações que assumem estas iniciativas terão maior sucesso quando avaliarem processo, tecnologia, técnica e experiência igualmente.

Para guiá-lo nesta jornada, a MicroStrategy desenvolveu um abrangente Mapa da Empresa Inteligente e uma abordagem de quatro etapas para ajudá-lo a começar. Você também pode agendar uma avaliação gratuita da sua empresa.

Comments Blog post currently doesn't have any comments.